Herramientas de usuario

Herramientas del sitio


pt-br:engineers

Engenheiro é a designação atribuída a todo indivíduo diplomado em curso superior de engenharia, qualquer que seja a ênfase de formação. A atribuição do título de engenheiro demanda curso de graduação com carga horária mínima de 3.600 (três mil e seiscentas) horas. Cada hora deverá ter 60 (sessenta) minutos, e a duração do curso não poderá ser inferior a 5 (cinco) anos.

O engenheiro tem como atividade primordial a aplicação de conhecimentos empíricos e científicos objetivando a concepção de dispositivos, estruturas, equipamentos e procedimentos que demandem a utilização de maneira eficiente, econômica, sustentável e racional dos recursos humanos e naturais de forma a satisfazer às necessidades humanas.

O título de engenheiro deverá ser obrigatoriamente acrescido de denominação que caracterize a sua formação profissional básica no âmbito do respectivo campo de atuação profissional da categoria, podendo abranger simultaneamente diferentes campos do conhecimento.

São fiscalizados pelo sistema CONFEA (CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E ARQUITETURA), autarquia esta que agrupa as várias especializações da engenharia em 9 (nove) diferentes câmaras: Civil, Química, Industrial, Agronomia, Segurança do Trabalho, Elétrica, Agrimensura, Arquitetura e Geologia e Minas. Cada Câmara é responsável pela atribuição inicial das atividades profissionais de acordo com a formação profissional.

A crescente evolução do conhecimento fez surgir diversas qualificações denominadas engenharias, mas que são abrangidas também por outras áreas do conhecimento, não estando o seu exercício profissional sujeito à fiscalização do sistema CONFEA/CREA; como exemplo podemos citar a Engenharia de Software, uma especialização da área de conhecimento da Ciência da Computação, e a Engenharia Genética, especialização da Genética, ligada ao CFM (Conselho Federal de Medicina).

Segundo dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o Brasil dispunha de um contingente de 750.000 engenheiros em 2008, sendo que destes, apenas 220.000 estão atuando na área. Os demais trabalham em outras atividades ou estão fora do mercado de trabalho.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E ARQUITETURA. Disponível em: . Acesso em: 11 setembro 2010.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Escassez de Engenheiros:

realmente um risco? Disponível em: http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/pdf/100224_Rada6_apres_Escassez_EngenheirosDISET.pdf. Acesso em: 11 setembro 2010.

FERREIRA, Aurélio B. H. NOVO Aurélio século XXI. 3. Ed. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1999.

/home/lefisadmin/public_html/lefispedia/data/pages/pt-br/engineers.txt · Última modificación: 2017/03/21 11:18 (editor externo)